Make your own free website on Tripod.com

Iscas Artificiais

As iscas artificiais são projetadas para trabalhar em vários níveis da coluna de água, sendo na superfície, meia água ou fundo. Estas iscas são, sem dúvida, os acessórios de pesca mais excitantes e exigem habilidade do pescador. A seguir apresentaremos algumas iscas de grande utilização entre os pescadores.


As iscas de superfície são aquelas que "trabalham" na superfície da água e funcionam muito bem para a grande maioria dos peixes predadores, com algumas exceções. Alguns de corredeira, como dourados e tabaranas que, comumente erram a maioria dos ataques nessas iscas. Dentre elas as mais conhecidas e eficientes são as seguintes:

 

Jumpbait ou Stick - São iscas que não possuem movimentos próprios e dependem da habilidade do pescador para uma perfeita ação. Quando trabalhadas rapidamente, com pequenos toques da ponta da vara, atraem, com eficiência, os principais peixes predadores que habitam nossas águas. Quando trabalhadas lentamente e com pequenas paradas, imitam peixinhos doentes, em agonia, também  provocando os predadores.

Stick - São iscas eficientes em todos os tipos de águas, com ou sem obstáculos. Entretanto, não produzem o efeito desejado se a água estiver turva, o ambiente com ventos e/ou fatores que possam inibir ou dificultar a perfeita ação da isca ou ataque do predador. A grande diferença entre as iscas Jumpbait e stick é um peso localizado na extremidade posterior da isca, permitindo que esta fique em posição semi-vertical quando parada.

Popper - São iscas de cabeça chanfrada que, quando bem trabalhadas, imitam um peixe caçando à flor da água. Poucas iscas desta categoria possuem ação própria, dependendo da habilidade do pescador para terem eficácia. Devem ser trabalhadas com pequenos toques de ponta de vara, com intervalos durante o recolhimento. Seu uso se restringe a águas não muito profundas, sendo muito produtivas no verão e usadas com muito sucesso nas pescarias noturnas. Em águas muito claras e calmas, devemos trabalha-las com suavidade para atenuarmos o ruído, ao passo que, em águas turvas, os movimentos devem ser mais enérgicos para acentuar o ruído produzido pelo seu trabalho.


As iscas de meia água são aquelas desenhadas com objetivo de trabalhar abaixo da superfície da água. Com estas iscas pode-se trabalhar de duas maneiras: recolhimento contínuo, procurar variar a velocidade a fim de encontrar o trabalho ideal que atraia o peixe; ou após o arremesso, deixou a isca em repouso por alguns segundos e antes de começar a recolher, executar pequenos toques com a ponta da vara, objetivando emitar um peixe debatendo-se ou alimentando-se na superfície.

O tipo de barbela e a força de recolhimento definem a ação da isca. Iscas com barbelas curtas afundam menos que as de barbelas longas; a angulação da barleba também define a profundidade da isca, quando o mais perpendicular ao corpo, tendem a atingir maiores profundidades. A força de recolhimento é outro fator que define a ação dos iscas. Recolhimento rápido produz um mergulho mais acentuado.


Estas iscas são utilizadas em áreas com relativa densidade de obstáculos. Sua capacidade de flutuação permite que saiam com mais facilidade após colisão com obstáculos submersos. Por provocarem constantes atritos da linha com obstáculos, os primeiros metros da linha em contato com a isca, devem ser constantemente verificados.


São iscas munidas de um ou dois hélices que produzem sons similares ao de um peixe caçando ou se debatendo. Devem ser trabalhados com pequenos toques de ponta de vara, movendo a hélice. Outro método de trabalho é produzir toques arrítmicos de ponta de vara, com recolhimento lento. Estas iscas devem ser utilizadas com linhas mais grossas, evitando que afundem rápido e atrapalhando a performance da isca.

Obs: Sugerimos a montagem da linha de acordo com o seguinte critério:

A linha principal pode ser de diâmetro de 0,25 a 0,30 mm. Prenda outra linha de diâmetro entre 0,35 a 0,45 mm e comprimento de 45 cm. Fixe na extremidade um serap que será fixado à isca. São iscas eficientes em águas claras sem ou com ventos moderados,em locais com densa vegetação.

Moro Iscas Artificiais


Spinner - Uma das primeiras iscas artificiais a serem desenvolvidas. Seu funcionamento tem como objetivo imitar insetos nadando. O recolhimento contínuo produz um efeito giratório da lâmina, que produz vibração e movimentos contínuos. Portanto, é indispensável a utilização de giradores ligando a linha à isca. Hoje existem vários formatos de spinner que são eficientes para a captura de matrichãs, piraputangas, tilápias e traíras. É bom evidenciar o efeito desta isca sobre as traíras.


Jigs - Isca confeccionada utilizando-se um anzól como base. A cabeça é de chumbo e o resto do anzól possui pêlos, penas de aves ou fios de material plástico. É uma isca de fundo e pode ser trabalhada da seguinte maneira: RECOLHIMENTO CONTÍNUO - com o recolhimento contínuo, dando toques na ponta da vara e pausas reduzidas, o jig produz uma natação uniforme, batendo nos substratos. QUEDA - é muito eficiente  em cardumes de predadores. Após o lance deixe a isca cair por alguns segundos e aguardar a mordida do peixe. ARRASTO DE FUNDO - Permita que a isca toque o fundo e dê puxadas curtas e suaves com paradas rápidas. Outra forma de utilização dos jigs é através da pesca de corrico. É uma isca eficiente para robalos, bonitos, dourados, traíras, etc.


Spinnerbait - Esta isca é de extrema utilidade quando estamos pescando em locais com muito enrosco. Pela sua forma de construção, posiciona o anzól sempre voltado para cima, protegido pelas "colheres" giratórias. Pode ser utilizada de arremesso e trabalhada com recolhimento contínuo na superfície ou mesmo na meia água, estando na dependência da velocidade do recolhimento o local da  coluna de água que esta trabalhará. É uma isca indicada para Black Bass, Cachorra, Dourado, Traíra e Tucunaré.


Buzzbait - Esta isca, como a spinnerbait, é de extrema utilidade quando estamos pescando em locais com muito enrosco. Pela sua forma de construção, posiciona o anzól sempre voltado para cima, protegido pela hélice giratória. Esta é a principal diferença da spinnerbait. Pode ser utilizada de arremesso e trabalhada com recolhimento contínuo na superfície ou mesmo na meia água, estando na dependência da velocidade do recolhimento o local da coluna de água que esta trabalhará. É uma isca indicada para Black Bass, Cachorra, Dourado, Traíra e Tucunaré.



Em relação à vara de pesca, o peso ideal de iscas pode ser assim resumido:

VARA OZ GRAMAS
UL- Ultra-leve 1/32 a 1/4 0,88 a 7,08
L- Leve 1/16 a 3/8 1,77 a 10,63
ML- Média-leve 1/8 a 1/2 3,54 a 14,17
MH- Média-pesada 3/8 a 1 10,63 a 28,35
H- Pesada 1/2 a 1 1/2 14,17 a 42,52
XH- Extra-pesada 3/4 a 3 21,26 a 85,05

É bastante difícil entender o que significa e quanto equivale as unidades de medidas registradas nosequipamentos de pesca, principalmente quando nos referimos às iscas artificiais. Geralmente os equipamentos trazem o padrão dos EUA e aquelas nacionais tendem a seguir estas unidades mantendo um padrão referencial. Assim, como forma de facilitar a nossa compreensão, as tabela abaixo mostra a equivalência para as nossas unidades.

UNIDADE DESCRIÇÃO EQUIVALÊNCIA
1 OZ 1 onça 28,35 g
1 lb 1 libra 453,60 g
1' 1 pé 30,48 g
1" 1 polegada 2,54 g