Make your own free website on Tripod.com

Algumas Experiências

Pergunta: Qual a maneira correta de iscar um anzol?

Resposta: Esse é um dos maiores mitos na pescaria. Não é verdade que a ponta do anzol não pode aparecer. Vamos raciocinar juntos. Enquanto se procura esconder a ponta do anzol na isca, o cabo do anzol e às vezes até o encastoador, ficam para fora. Será que o peixe sabe o que é ponta e o que é cabo de anzol? É evidente que não. O anzol não atrapalha em nenhuma hipótese o ataque do peixe à isca. Uma isca morta pode ser iscada  de qualquer maneira, desde que fique firme no anzol. Já uma isca viva deve  ser iscada de maneira que continue viva. Assim  sendo, temos, no caso de pequenos peixes, que iscar ou pela boca ou pelo dorso do peixe, para que ele fique vivo e não perca o movimento.

 

Pergunta: O barulho atrapalha a pescaria?

Resposta: Isto é realidade. Apesar de não ver cores e não enxergar bem, o peixe possui audição 10 vezes superior à de qualquer animal terrestre. Assim sendo, realmente o barulho atrapalha e muito a pescaria; que tanto pode ser em margem ou embarcada. Porém, convém salientar que são determinados ruídos que atrapalham mais. Por exemplo, em um barco, o cair de um remo ou então de um outro objeto qualquer produz ruídos ensurdecedores embaixo da água. Já o ruído do motor não é tão prejudicial assim, pois caso contrário, as pescarias de corrico seriam bastante prejudicadas. Nas margens, o ruído que atrapalha mais são as pisadas do pescador durante as pescarias, andando de um lado para o outro. Já conversas não atrapalham a pescaria, seja ela de barco ou de barranco. Finalizando, diríamos que determinados barulhos atrapalham e outros não. Um exemplo disso é que em nosso litoral é comum ver-se pescadores profissionais que antes de tarrafear uma área, jogam primeiro uma pedra na água para depois jogar sua rede. Segundo eles, devido ao barulho da pedra, o peixe vem ao local para verificar o que foi que caiu dentro da água.

 

Pergunta: O peixe quando está criando não pega?

Resposta: Isto pode ser considerado como meia verdade, já que algumas espécies realmente não fisgam quando estão na época de desova. No entanto, outras, para defender os alevinos, fisgam em qualquer coisa que se mova em volta delas. Preferimos dizer a esse respeito, que quando um peixe está desovando, não deve ser pescado ou molestado. A época de desova deve ser considerada um período em que ninguémdeve praticar a pesca, seja ela de qual tipo for.

 

Pergunta: A lua influi na pescaria?

Resposta: Com certeza é este um dos assuntos mais polêmicos no nosso esporte. Vamos dar nossa opinião e explicar o porquê de dizermos que a lua não influi absolutamente no resultado de uma pescaria. Começamos pelos famosos calendários, que dizem que a lua cheia é ótima; quarto minguante, regular; quarto crescente, boa e que a lua nova é neutra. Ora, então o pescador amador é um felizardo, já que lua ruim não é citada. Então, como explicar que mesmo quando a indicação é de uma lua ótima, fazemos uma  péssima pescaria? Pois bem, em nossa opinião, em água doce a lua não influi absolutamente nada na pescaria. No mar, a lua tem muita influência é nas marés e estas sim, de acordo com a movimentação e altura, determinam melhores ou piores períodos de pesca. Dizer que ela influi diretamente na pescaria é dizer uma meia verdade. Isto porque em uma "excelente lua" poderemos fazer uma pescaria péssima, pois contra o "poder da lua", estão os ventos, as ressacas, a pressão atmosférica, etc, que decidirão o resultado da pescaria.

 

Pergunta: Sorte na pescaria existe?

Resposta: Particularmente, nós achamos que sorte não existe em pescaria. Senão vejamos: coloque-se frente a frente um veterano e um novato, e que a pescaria aconteça em local de conhecimento dos dois. Por certo o pescador veterano se sairá melhor no confronto. Dizer-se que um pescador pesca mais porque tem sorte é praticamente uma heresia. Antes de sorte, pode ser que esse pescador conheça profundamente o peixe que está pescando, seu material de pesca é o correto, suas iscas são as ideais, o local é o melhor para peixes daquele tipo, etc. Evidente está que, se alguém pega mais peixe que nós, ele é também um pescador melhor, apesar de ser duro admitir tal hipótese. Mas, com certeza, sorte não é. Seria mais ou menos dizer que o Senna ganhou corridas por sorte. Iscas em contato com produtos estranhos...

 

Pergunta: É verdade que a isca em contato com alguns produtos atrapalha a pescaria?

Resposta: A maior preocupação do pescador que pesca embarcado é não tocar a isca quando mexeu em gasolina. Esse cuidado tem fundamento, não só com relação à gasolina como também com outros produtos usados freqüentemente pelo pescador. Entre esses destacamos: desodorante, perfume, etc. Mas que fique bem clara uma coisa, visto que o peixe tem seu olfato junto com o paladar: só quando ele põe a isca na boca é que sentirá o gosto dos produtos estranhos. No caso de iscas artificiais, tais produtos não apalham, e a maior prova disso é que as tintas usadas nas iscas, bem com o verniz, na maioria dos casos são à base de petróleo. No caso de iscas naturais, e só nestas, esses produtos atrapalham, pois o peixe antes de engolir a isca, apalpa-a na boca e assim o seu olfato/paladar acusa o gosto estranho. Sabendo disso, caem por terra todos os mitos dos produtos para atrair peixes.

 

Pergunta: O peixe vê o pescador?

Resposta: Na verdade não! O peixe é um ser  muito míope. Sua visão é de apenas alguns metros e mesmo assim ele não consegue distiguir com perfeição o objeto ou pessoa visualizado.