Make your own free website on Tripod.com

BOIA CEVADEIRAS

 

       

Este equipamento consiste num compartimento cilíndrico, com alguns furos na sua lateral, onde é colocada a ceva, (no caso foi utilizada a mistura em pó Nutravit), e de uma boia com uma capa que se encaixa perfeitamente sobre o compartimento que contém a mistura. Esta capa também possui furos que coincidem ou não com os furos do compartimento, bastando para isso, girar a capa. Podemos controlar assim a quantidade da mistura a ser liberada.

O ARREMESSO

O local da parada da bóia deve ser no máximo a alguns metros antes do alcante total do arremesso. Essa providência serve para que nos próximos lançamentos consiga-se arremessar a bóia além do local onde estava parada, recolhendo a linha até aproximar de onde estava anteriormente, evitando que os peixes já atraídos pelo arremesso anterior não se assustem com a queda da bóia na água.

Uma vez na água, a bóia começa a atuar, formando uma coluna vertical de ceva, conseguindo atrair peixes que estão a uma profundidade maior e vãp subindo, atraídos pelos pequenos fragmentos até encontrar o "grande prêmio": um anzol cuidadosamente preparado.

Conforme a ceva vai saindo da bóia, esta vai ficando cada vez mais leve, assim, fica fácil perceber o momento certo de reabastecê-la. Convém também, em águas muito paradas, dar pequenos toques de ponta de vara o suficiente apenas para balançar a bóia. Esse movimento, além de aguçar a curiosidade do peixe, livera um pouco mais de ceva, aumentando a eficiência.

Uma segunda ou terceira vara, equipadas com bóias simples, podem também entrar no jogo, aproveintando os benefícios da cevadeira, sempre tomando o cuidado para que o arremesso seja feito além do ponto de parada da bóia com a ceva e mais de uma vara também tem a vantagem adicional de proteger a ceva de outros pescadores que podem arremessar as iscas perto da bóia aproventando-se dela.

Essas são noções básicas para a utilização desse equipamento, certamente vantajoso. Daí para a frente qualquer variação pode ser tentada de acorodo com suas próprias técnicas e imaginação.

 

 

 

.