Make your own free website on Tripod.com

Piadas

  1. A série
  2. O curioso
  3. A mulher do japonês
  4. Sem peixe
  5. O marido da Amélia
  6. Pescaria cara
  7. Mentira de pescador
  8. Pesca da Loira
  9. O mentiroso
  10. O louco

 

 

 

 

Pescador: Eu sou um pescador que pesco um peixe atrás do outro.

Curioso: Você??? Mas eu nunca vi trazer um peixe sequer para casa!

Pescador: É que eu nunca consigo pescar o primeiro para iniciar a série.

 

Narrador: O rapaz curioso por ver que todas as vezes o japonês trazia muitos peixes das pescarias e pergunta :

Rapaz: O Sr. Hiro, que tipo de isca o Sr. usa pra pescar?

Narrador: E o japonês respondeu:

Sr. Hiro: Taron!

Rapaz: Taron? Que bicho é esse?

Sr. Hiro: Taron de cheques, responde o japonês!!!

 

Narrador: Pois bem, em um destes domingos, o português sentou do lado de um japonês que não parava de pegar peixe, só dava tempo mesmo era colocar outra isca e pimba! O cara ficou admirado, pois não tinha pego nenhum. Então, chegou perto do japa e perguntou:

Português: Oh japonês, como é que tu consegues pegar tanto peixe e eu que estou do seu lado não pego nenhum?

Narrador: O japonês sorridente respondeu:

Japonês: A questão é sorte, né! Passa a mão na bunda de mulher antes de sair de casa, né, e então a sorte vem né!

Narrador: Pois então, no outro domingo, o cara acordo e viu logo a mulher no jardim com a bunda pra cima. Se levantou, afoitamente chegou por trás dela e meteu a mão com vontade! A mulher, sem se assustar com aquilo e sem olhar para trás disse:

Mulher do português: Já vai pescar japonês?

 

Narrador: O pescador acaba de voltar da pescaria na praia, entra em casa e lamenta:

Pescador: Oi, flor! Hoje não consegui nada!

Esposa: Eu já sabia. Você esqueceu sua carteira em casa.

 

Vizinha: Como vai seu marido, Amélia?

Amélia: Pessimamente. Além de beberrão, ele deu para ter um dos piores vícios!

Vizinha: Não me diga que ele deu pra jogar?

Amélia: Assim pensa você, minha querida! O desgraçado agora deu pra pescar.

Narrador: Três amigos estão no meio de uma pescaria.

1º Pescador: Esta pescaria vai me custar caro. Tive que prometer a minha mulher que iria almoçar com a mãe dela neste final de semana.

2º Pescador: Pra mim, vai custar mais caro ainda. Tive que prometer a minha mulher lavar a louça do jantar durante uma semana.

3° Pescador: Pra mim saiu de graça - emendou o terceiro. - Assim que acordei, eu disse à minha mulher: "Hoje eu gostaria de passar o dia inteiro trepando ou pescando, o que você prefere, meu bem?

 

Narrador: Um senhor de terno e gravata chegou na barranca do rio, olhou para um pobre ribeirinho e perguntou:

Senhor:  Neste rio dá muito peixe?

Narrador: O ribeirinho agachado, cutucando o dente com um canivete respondeu:

Ribeirinho: Dá sim senhor! Hoje mesmo já peguei 500 kgs de pintado, 200 de pacu e 300 de dourado.

Narrador: O cidadão engravatado perguntou bravo:

Senhor: Você sabe com quem está falando?

Ribeirinho: Não senhor!

Senhor: Sou Delegado do IBAMA e o senhor está preso por crime contra o meio-ambiente.
Ribeirinho: E o senhor sabe com quem tá falando?

Senhor: Nao!!!

Narrador: O ribeirinho levantou, encarou o fiscal e disse:

Ribeirinho: Sou o maior mentiroso dessas bandas."

 

Narrador: Uma loira ouviu dizer que o máximo da diversão é pescar no gelo. Ela compra todos os livros a respeito, vai para Nova Iorque, compra o equipamento necessário e escolhe um bom lugar para começar a pescaria. Depois de se instalar, ela começa a fazer um buraco no gelo. De repente uma voz vinda do céu avisa:

Voz: "NÃO HÁ PEIXES DEBAIXO DO GELO".

Narrador: Atônica, a loira se desloca para o lado e começa a fazer outro buraco. Outra vez uma voz vinda do céu avisa:

Voz: "NÃO HÁ PEIXES DEBAIXO DO GELO".

Narrador: Preocupada, a loira se levanta, vai para o lado oposto do gelo, e começa a fazer outro buraco. E, mais uma vez uma voz vinda do céu avisa:

Voz: "NÃO HÁ PEIXES DEBAIXO DO GELO".

Narrador: Ela pára, olha para o céu e diz:

Loira: É o Senhor, meu Deus?

Narrador: A voz responde:

Voz: Não, é o gerente do rinque de patinação.

 

Narrador: Um dia, dois pescadores iniciantes resolveram fazer uma pescaria no rio Araguaia. Chegando lá, arrumaram suas barracas e foram correndo pescar. Após duas horas de pescaria, um dos pescadores chega para o outro e diz:

João:  É amigo, esse rio já foi bom de peixe. 3 anos atrás quando eu vim pescar nesse rio e nesse mesmo lugar, eu joguei o meu anzol nesse rebojo e ferrei um jaú de 120 quilos.

Narrador: Após 20 minutos pensativo, o outro respondeu:

Manuel: É mesmo! Pois eu também vim aqui nesse mesmo lugar, mas a 4 anos atrás, joguei o anzol nessa corredeira e quando eu estava leventando a vara, minha vara foi quase arrancada da minha mão, mas com muita sorte consegui segurá-la, e quando eu puchei a vara vi uma clarão. Quando levantei a vara estava amarrado no anzol um lapião ligado.

Narrador: Ouvindo tudo com muita atenção João disse:

João: É mesmo, amigo?

Narrador: Após essa conversa, nenhum dos dois mais se falaram, a não ser quando os dois já estavão dormindo, e lá pelas 4 horas da manhã, um vira para o outro e fala:

João: Manuel, você está dormindo?

Manuel: Não!

João: Então desliga o seu lampião e eu diminuo os 100 quilos do meu peixe, se não nem eu nem você iremos conseguir dormir.

 

Narrador: Um louco estava pescando no asfalto. Uma pessoa que estava passando viu e falou:

Motorista: Você esta sem isca!

Narrador: O louco respondeu:

Louco: Para que isca se nâo tem peixe?