Make your own free website on Tripod.com

PIRANHA (Serrasalmus spp,Pygocentrus spp,Pigopristis spp)

Conforme se encontra na literatura, ocorrem no Brasil várias espécies de piranhas, podendo pertencer elas aos gêneros Serrasalmus, Pygocentrus e Pigopristis. Apesar de apresentarem diferenças quanto à tamanhos, cor, e outras características externas menores, todas tem, entretanto, algo em comum. A sua ferocidade como atacam as vítimas. Elas quando mordem, com seus dentes afiadíssimos, praticamente tentam arrancar nacos de carne da presa, sacudindo violentamente o corpo para tal. Há bastantes relatos de casos de piranhas de porte maior, principalmente na região Amazônica ou no Araguaia, que simplesmente partem uma isca artificial ao meio. O cuidado com o seu manuseio deve ser constante, até porque elas levam um certo tempo para morrer fora da água. Use, se possível, sempre alicates. É muito comum, também, quando estamos pescando tucunarés ou corvinas de água doce que os peixes venham com pedaços de seu corpo faltando, devido há bocadas das piranhas. Se você prática a pesca catch and release (pesque e solte), evite capturas demoradas, pois o peixe pode ser totalmente devorado pelas piranhas quando elas estão presentes. O seu corpo ovalado é deprimido lateralmente, e a sua dentadura apresenta uma carreira de dentes afiadíssimos. A mandíbula inferior saliente não deixa dúvidas quanto a sua ferocidade. O tamanho varia com a espécie, não passando a maior dos 45 cm de comprimento e a menor dos 18 cm. São poucos  pescadores que já chegaram a confundir as grandes piranhas pretas com um pequeno tambaqui. A piranha não deixa de ser uma alternativa muito interessante e divertida para uma boa pescaria. Atacando qualquer tipo de isca, inclusive as artificiais, a sua briga, quando se usa um equipamento leve é muito agradável. Quanto ao seu aproveitamento culinário, não há duvida que o caldo de piranha é o melhor deles. Porém, grelhada, à beira de uma barranca de rio, não deixa de ser uma alternativa, apesar das espinhas. Ela é encontrada em todo o território brasileiro, em rios, barragens, açudes e lagoas.