Make your own free website on Tripod.com

ENCHOVA (Pomatomus saltatrix)

As enchovas, redescobertas pelos pescadores de iscas artificiais recentemente, são peixes pelágicos, que vivem desde as águas costeiras até ao mar aberto. Enquanto os exemplares menores de 50 a 60 cm vivem em baías, praias e ao redor dos costões,os espécimes maiores, também muitas vezes chamadas de marisqueiras, vivem em águas abertas e junto a ilhas, inclusive oceânicas, como por exemplo na Ilha Bela no Estado de São Paulo ou então em Angra dos Reis no Estado do Rio de Janeiro. Preferem águas batidas, e seus cardumes, que diminuem de tamanho com o aumento da idade do peixe, podem chegar a milhares. Numa pescaria, é muito difícil só se pegar um exemplar. Grandes predadoras e destruidoras, são capazes de comer mais de duas vezes o seu peso por dia e mesmo quando saciadas continuam a atacar as presas que lhe chegam perto, como sardinhase paratis, mordendo-as sem parar. Quando se usa iscas artificiais é importante proceder-se a troca constante de tipos e cores, mantendo desta forma a  agressividade incontida deste peixe. Os cardumes são sempre exemplares do mesmo tamanho e há regiões, como por exemplo terminais marítimos,em que grupos permanentes se estabelecem. Exemplares, por exemplo com aproximadamente 7 anos podem atingir 80cm e pesar de 7 a 8 kg. Os espécimes maiores podem chegar a 1m de comprimento e peso de 12 kg, embora haja menção na literatura de até 20 kg. É encontrada em todo o  litoral brasileiro. Elas tem um corpo alongado e comprimido, sendo a sua cabeça moderada. A boca, como de quase todos os predadores é bem grande. Possui uma série de dentes fortes, chatos e triangulares, e que devem ser respeitados pelo pescador na hora de retirar a isca artificial. Tem cor prateada com dorso variando de azul-escuro a verde, sendo o seu ventre esbranquiçado. Sua brutalidade na pesca esportiva é bastante conhecida. Ataca qualquer isca, de colheres a plugs. Seja na técnica do corrico ou do arremesso. Quando não há sinal do peixe, devemos procurar nas margens da correnteza, onde se encontram peixes desgarrados. Do ponto de vista culinário, o peixe é bastante apreciado quando feito na brasa.